Logo Canto da Primavera

Instrumental marca sábado do Canto 2017

A chuva fraca que caiu em Pirenópolis não afastou o público do Canto da Primavera […]

today

1 de outubro de 2017

A chuva fraca que caiu em Pirenópolis não afastou o público do Canto da Primavera 2017 neste sábado. Com casa cheia, o Cine Pireneus recebeu os artistas Fabiano Chagas, Adriel Vinícius e Manassés Aragão. Já no Cavalhódromo, quem subiu ao palco para animar a cidade de Pirenópolis foi Leo Gandelman e o trio Júlio Bittencourt que, juntos, fizeram uma apresentação instrumental de Beatles onde o público ficou encarregado de ser a voz.

A noite do Cine Pireneus teve início com a sensibilidade do instrumentista Fabiano Chagas. O artista interpretou composições próprias e sucessos atemporais, como Beatriz, de Edu Lobo e Chico Buarque. Fabiano celebrou o espaço dado à música instrumental na Mostra e expôs a dificuldade realizar recital sozinho. “Não há espaço para errar, a perfeição tem que ser feita do início ao fim”, resumiu. E a perfeição foi ao improviso. O artista disse que resolveu tocar uma música que não fazia parte do roteiro original do show, e terminou a apresentação com Capoeira, de Baden Powell.  Aplaudido de pé, Fabiano Chagas  agradeceu emocionado à presença da plateia e ao Canto da Primavera.

Voz e violão

 

Foto: Flavio Isaac

A juventude de Adriel Vinícius e as composições de protesto instigaram a plateia. O jovem artista com uma voz poderosa apresentou canções de composição própria e com letras fortes e um desembaraço que a voz e o violão deixam mais tocante.  Adriel mostrou interpretações suas para clássicos da música popular brasileira, como Anunciação e convidou ao palco Claudia Costa, cantora de Pirenópolis. No palco, ele disse que conheceu Cláudia momentos antes, ao andar pela cidade durante a tarde, e que se impressionou com a artista. O resultado desse encontro foi uma interpretação de Trem das onze que emocionou a todos no Cine Pireneus. A conexão com o público foi clara e Adriel recebeu pedidos de “bis”. Para terminar a apresentação, pediu a ajuda do público e em coro o Cine Pireneus celebrou a jovem revelação de Goiás.

            Para finalizar a noite do Cine, o trompetista Manassés Aragão subiu ao palco para apresentar seu mais novo projeto, Caminhos do Brasil. A primeira música foi Abre alas, canção de Ivan Lins na qual Manassés realizou o arranjo musical.  Acompanhado de contrabaixo, bateria e teclado, Manassés conseguiu realizar uma revisitação musical pelos ritmos do Brasil.

 

 

Beatles em uma só voz

Foto: Rafaella Pessoa

Neste sábado, a cidade de Pirenópolis se encontrou no Cavalhódromo. O espaço bastante amplo e coberto teve um público animado que acompanhou Leo Gandelman e o trio Júlio Bittencourt interpretando as canções de Beatles em uma versão jazz. Já na primeira música, Leo pediu para que a plateia fizesse a voz, e assim foi. Sucessos como Don’t let me downEleanor Rigby e Hey, Jude fizeram o público cantar e dançar a noite toda. Leo Gandelman estava em casa. Divertiu-se e divertiu a todos do início ao fim, desceu do palco para estar mais próximo do público, tirou selfies e abriu o palco para quatro pessoas da plateia dançarem e se divertirem com ele e o Júlio Bittencourt Trio.

 

Mais espaço para os artistas

 Para Juliana Pereira, estudante universitária de Goiânia, o Canto da Primavera é uma mostra importante por dar espaço e voz aos artistas regionais. “O Canto é um lugar que valoriza a música. Faltam espaços assim, para que possamos ver grandes artistas”, constata.

Maria do Sol, moradora de Pirenópolis disse que participa do Canto da Primavera desde a primeira edição e que a importância da Mostra pode ser vista em dias como esse sábado, onde turistas e moradores se encontraram no Cavalhódromo. “É importante a realização do Canto, é um período onde temos acesso à músicos que não estão na mídia e que fazem um trabalho excelente” afirmou.

Ver Também